Páginas

domingo, 16 de outubro de 2011

Alimentos


O artista Claes Oldenburg não pretende que seus objetos alimentícios, feitos em mousseline, mergulhados em gesso e pintados, se assemelhem a produtos reais. As esculturas, cujo resultado final é uma paródia de sua aparência - são manifestações de arte, autossuficientes, escreveu ele sobre esta coleção, rejeitando qualquer interpretação rebuscada em relação à sua obra Les Diners de Gala, livro de culinária de Salvador Dali (1904-1989), o título é um trocadilho como uma homenagem à sua companheira, com 55 receitas exóticas elaboradas por um chef que preferiu permanecer anônimo, talvez, de modo a não ofuscar o pintor catalão. Em edição de luxo, somam-se às metamorfoses culinárias ou gustativas de Dali, colagens e litografias de livros antigos de receitas e detalhes das obras de Bosch, Altdorfer e Dürer, no estilo visceral do surrealismo Nada é planejado. Seu trabalho é intuitivo. O fotógrafo inglês Martin Parr não conseguia entender porque ninguém mais estava fotografando situações aparentemente tão óbvias do cotidiano. Isto o levou a fotografar a classe média, os turistas. Na era da globalização crescente, Parr nos fornece senão as respostas que procuramos ao menos um novo estoque de perguntas sobre a sociedade de consumo "Está um lindo dia. Vamos dar um passeio. Se encontrarmos cogumelos, nós os colhemos e comemos. Betsy Zogbaum perguntou a Marian Powys Grey se ela conhecia a diferença entre os bons cogumelos e os venenosos. Creio que sim. Mas imagine, querida, como a vida seria chata sem uma certa incerteza." 
Claes Oldenburg (Pastry case 1, 1961-62 / MoMA / Pop Art, Klaus Honnef, Taschen, 2004) / Salvador Dali (Les Diners de Gala por Draeger Frères, Paris, 1973) © Martin Parr / Magnum Photos (México, 2003 / http://www.martinparr.com/ Fotografia gentilmente cedida. Todos os direitos reservados a Martin Parr) John Cage (De segunda a um ano, Editora Hucitec, 1985)