Páginas

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Sinais da pele



Entende-se por sinal tudo aquilo que, obedecendo às regras de um código, serve para identificar uma coisa. Uma mancha na pele, por exemplo, é um sinal porque distingue a pessoa que a tem. O homem também inscreve suas marcas e cicatrizes, como elemento decorativo, de identidade ou para transmitir ideias. Um contraste marcante de sinal foi usado pelos nazistas para identificar prisioneiros dos campos de concentração - os números tatuados nos antebraços dos prisioneiros tinham como objetivo eliminar totalmente a sua identidade como indivíduos  Fotógrafo e cineasta premiado, Christian Weber é constantemente reconhecido por desafiar conceitos convencionais de beleza. Usando uma variedade de recursos tecnológicos de base para os seus trabalhos; sua obra é proposta no nível da ideia e do confronto, superando o limite imposto comumente pela fotografia como documento. A realidade imediata não interessa a Weber, embora às vezes pareça ser um realista puro  Nos trabalhos de Brea Souders, as composições guardam estreitas relações com o ambiente, em geral nostálgico, integrando partes do seu corpo ou ação e o meio fotográfico. Através de técnica de manipulação digital, Souders incorpora uma delicadeza de cor e uma superfície etérea, temática de suas referências à arte Em 1982, o designer Uwe Loesch desenvolveu o projeto Punktum, que significa ponto final, recortando um anúncio de outdoor para produzir um livro de 256 páginas em formato A4, para uma firma de reproduções gráficas. Premiado com o Grand Prix na Bienal Internacional de Pôster em Lahti, Finlândia, Loesch notabilizou-se por seu trabalho variado e consistente, capaz de reunir múltiplos significados. No cartaz, é apenas um sinal de beleza, como as pintas aplicadas na bochecha pelas senhoras e senhores da alta sociedade francesa nos séculos 17 e 18. Também pode ser considerado um sinal maligno, como uma marca de queimadura. No livro-cartaz de Loesch, distribuído para as agências de publicidade, a trama de pontos ampliados configura uma visualização dos processos gráficos.

Sinal (A. j. Greimas / J. Courtés, Dicionário de semiótica, Cultrix/ Interarte, catálogo geral 17 ͣ  Bienal de São Paulo) / Foto: © Christian Weber (ME, 2010 / http://www.christianweber.net / Fotografia gentilmente cedida. Todos os direitos reservados a Christian Weber) / Foto: © Brea Souders (Sunburn in Naples, 2011 / http://breasouders.com / Fotografia gentilmente cedida. Todos os direitos reservados a Brea Souders) / Cartaz: © Uwe Loesch ( "Punktum", 1982 / http://www.uweloesch.de / Reprodução gentilmente cedida. Todos os direitos reservados a Uwe Loesch)