Páginas

domingo, 28 de agosto de 2011

Dupla


Segundo a Bíblia, Adão é o primeiro homem, mais tarde Deus tirou-lhe uma costela e criou a mulher. O resto da história os leitores conhecem. Por outro lado, há consideráveis pontos de vista, como foi observado por George Bernard Shaw: "Sempre desprezei Adão por ter precisado da tentação de Eva (como esta precisou da tentação da serpente) para comer o fruto da Árvore da Ciência do Bem e do Mal. Eu teria devorado todas as maçãs assim que o dono virasse as costas" O casamento de Giovanni Arnolfi e Giovanna Cenanni, pintura do século XV, de Jan Van Eyck (c.1390-1441). Críticos de arte discutiram a simbologia e a significação da obra, mas é geralmente aceito que ela mostra uma cena de casamento, com duas testemunhas (que estariam onde se encontra o espectador) refletidas no espelho. Trata-se de um retrato duplo, e a inscrição em latim na parede – Jan Van Eyck esteve aqui, 1434 – parece confirmar que uma das figuras seja um autorretrato Julius e Ethel Rosenberg acusados de recolher informações secretas sobre a bomba atômica e fornecê-las aos russos. Os Rosenberg foram os primeiros civis norte-americanos executados por espionagem, em 1953, na prisão de Sing Sing. A notícia da morte do casal foi motivo de comemoração, de indignação também Batman, criado pelo desenhista Bob Kane (1915-1998), fez sua primeira aparição na revista Detective Comics em 1939. O personagem de Batman, cuja verdadeira identidade está escondida sob seu uniforme de malha justa, capa e máscara em forma de morcego, é sempre acompanhado por um jovem, Robin, agindo lado a lado para salvar Gotham City do submundo do crime. 
© Millôr Fernandes (A verdadeira história do paraíso, Editora Desiderata, 2006) / Jan Van Eyck (O casamento de Giovanni Arnolfi e Giovanna Cenanni, 1434, National Gallery, Londres) / Acervo New York Daily News (Julius e Ethel Rosenberg, 1953) / © Bob Kane (Batman / reprodução ArtBrokerage)